Quanto dinheiro eu preciso para ser um nômade digital?
Quanto dinheiro eu preciso para ser um nômade digital?
Quanto dinheiro eu preciso para ser um nômade digital?

Quanto dinheiro eu preciso para ser um nômade digital?

Nesse artigo, vamos  falar um pouco sobre a nossa própria experiência como nômade digital e alguns passos fundamentais que você deve estar atento antes de largar tudo fazer as malas e pegar estrada.  

Primeiramente é importante que você entenda, que você tem que projetar a sua vida nômade, e compreender que se tornar um nômade digital não vai ser da noite para o dia. A menos que você seja de uma família rica e não precise se preocupar em como sobreviver, se alimentar, morar e pagar contas.

Ao começar sua transição para o nomadismo digital é fundamental que você adquira habilidades que te possibilitem trabalhar pela internet. A primeira fase é conquistar seus primeiros ganhos, trabalhando no estilo home office, e a partir do momento que você realmente se sentir seguro financeiramente, saia pelo mundo como nômade digital.

Então vamos começar, preparamos uma lista de coisas importantes que você deve saber para se tornar um nômade digital e entender quanto dinheiro precisa para se tornar um nômade digital.


Índice do Artigo:


O que é ser um nômade Digital?

Primeiramente você precisa entender como é ser um nômade digital, para refletir como um nômade digital vive, com o que ele gasta dinheiro, para você saber quanto dinheiro precisa para se tornar um nômade digital. Então bora lá!

Um nômade digital é uma pessoa que tem a flexibilidade de trabalhar remotamente usando tecnologia e, portanto, pode viver em qualquer lugar do mundo enquanto trabalha. Os nômades digitais geralmente têm habilidades em áreas como tecnologia da informação, marketing digital, redação, design gráfico, entre outras, que permitem que eles trabalhem de forma independente e sem a necessidade de estar fisicamente em um escritório.

Um nômade digital pode trabalhar em qualquer lugar, desde cafés locais a espaços de coworking, ou até mesmo de um local remoto e isolado, dependendo da sua preferência. Eles podem viajar com frequência, ficar em uma única localização por um período de tempo ou até mesmo se mudar frequentemente.

Ser um nômade digital pode oferecer muitas vantagens, como a liberdade de escolher seu próprio estilo de vida, evitar deslocamentos, aproveitar a flexibilidade de horários e a oportunidade de conhecer novas culturas. No entanto, ser um nômade digital também pode apresentar desafios, como gerenciar o tempo e a produtividade, manter uma rede social e de apoio, e lidar com problemas técnicos.

Em resumo, um nômade digital é uma pessoa que trabalha remotamente e usa a flexibilidade que essa forma de trabalho oferece para viver em qualquer lugar do mundo.

Viajar como um nômade digital é caro?

Essa não é uma resposta simples de responder, visto que os gastos variam bastante, dependendo do tipo de viagem, locais para visitar, e estilo de vida que você quer levar. Se você vai ficar em hostel, se você vai ficar em airbnb ou morar em um motor home. Porém a gente considera que o mínimo necessário mensal para iniciar a vida como nômade digital é de R$ 2 mil a 3 mil reais por mês disponível.

Sempre que estamos viajando, levamos uma vida mais básica, mais simples. O custo mais caro, muitas vezes, são as passagens aéreas, no nosso caso a gasolina do carro, pedágios e manutenções, mas esse é um investimento que você poderá fazer poucas vezes pelo caminho, até porque você não vai mudar de cidade todos os dias.

Viajar como um nômade digital pode ser caro, dependendo do estilo de vida que você escolher e dos locais que visitar. No entanto, também é possível viajar com um orçamento limitado e aproveitar as vantagens da vida de nômade digital.

Algumas coisas que podem afetar o custo de viajar como um nômade digital incluem:

  1. Destinos: Alguns locais podem ser mais caros do que outros, especialmente aqueles com um alto custo de vida, enquanto outros locais podem ser mais acessíveis.
  2. Estilo de vida: O custo de vida de um nômade digital depende muito do seu estilo de vida. Se você prefere ficar em hotéis de luxo, comer em restaurantes caros e usar serviços exclusivos, seus gastos serão mais elevados do que aqueles que optam por estadias em hostels, cozinhar suas próprias refeições e usar serviços mais baratos.
  3. Duração da viagem: Quanto mais tempo você viajar, mais caro pode ser. Os custos de hospedagem, alimentação, transporte e outras despesas podem acumular-se ao longo do tempo.
  4. Serviços de trabalho: Como nômade digital, você precisará de acesso à internet confiável e outros serviços de trabalho, como espaço de coworking. Esses custos podem variar dependendo do local em que você estiver e do tipo de serviços que precisar.

Em resumo, viajar como nômade digital pode ser caro, mas também pode ser uma forma de viver uma vida mais econômica e acessível, dependendo das escolhas que você fizer em relação ao estilo de vida e destino. A chave para manter os custos sob controle é fazer um orçamento cuidadoso e ser flexível em relação aos seus planos de viagem.

Sair da nossa zona de conforto e encarar novos costumes, novos sabores, algumas privações e conhecer maravilhosos lugares e pessoas sensacionais que cruzam nosso caminho.

Movimento Nômades Digitais

Faça um orçamento de Gastos

Para fazer um orçamento de gastos para um nômade digital, siga os seguintes passos:

  1. Liste todas as suas fontes de renda: Isso inclui o seu trabalho principal como nômade digital, mas também pode incluir renda passiva ou outras fontes de receita.
  2. Identifique seus gastos fixos: Isso inclui despesas como aluguel, contas de serviços públicos, seguros, assinaturas de software e serviços de hospedagem, entre outras. Esses gastos são recorrentes e geralmente não mudam muito de mês para mês.
  3. Identifique seus gastos variáveis: Esses são gastos que podem variar de acordo com a sua localização, como alimentação, transporte, lazer e compras pessoais. É importante estimar esses gastos com base em seus hábitos de consumo e no custo de vida do local em que você está morando atualmente.
  4. Analise o seu histórico de gastos: Se você já é um nômade digital há algum tempo, é útil olhar para seus gastos anteriores para entender melhor como você gasta seu dinheiro e identificar áreas onde pode reduzir despesas.
  5. Priorize suas despesas: Depois de identificar seus gastos, classifique-os em ordem de importância e priorize-os de acordo com suas necessidades e objetivos financeiros.
  6. Crie um orçamento mensal: Com base nas informações acima, crie um orçamento mensal que inclua todas as suas fontes de renda e gastos, e certifique-se de reservar uma quantia para emergências e imprevistos.
  7. Revise e ajuste regularmente: É importante revisar seu orçamento regularmente para garantir que esteja acompanhando seus gastos e ajustá-lo conforme necessário para atingir seus objetivos financeiros.

Lembre-se de que a vida de um nômade digital pode ser imprevisível, e seus gastos podem variar de acordo com a localização e as oportunidades de trabalho. Por isso, é importante manter uma reserva de emergência e estar preparado para ajustar seu orçamento quando necessário.

Seja minimalista e elimine gastos desnecessários

Se você quer ser um nômade digital, vai ter que aprender a eliminar excessos. Se atualmente você vive em um uma casa própria, já começa a estudar uma forma de monetizar sua residência Coloque seus itens mais valiosos em um depósito ou em algum lugar que tenha espaço livre para isso. A nossa casa por exemplo, hoje é a Movimento house, preparamos ela para receber hóspedes através do airbnb, quando estamos viajando a gente lucra por volta de R$2.000 mensal, através do app. Ajuda a praticamente sustentar o seu estilo de vida na estrada.

Aprenda a poupar e faça uma reserva de emergência

Criar uma reserva de emergência é fundamental para lidar com imprevistos, como perda de emprego, doença ou outras situações financeiras difíceis. Aqui estão algumas etapas para criar uma reserva de emergência:

  1. Determine quanto você precisa economizar: A primeira etapa é determinar quanto você precisa economizar para cobrir suas despesas por um determinado período de tempo em caso de emergência. A maioria dos especialistas em finanças recomenda ter pelo menos três a seis meses de despesas em uma reserva de emergência.
  2. Crie um orçamento: Para criar uma reserva de emergência, você precisará economizar dinheiro, o que significa que precisará ajustar seu orçamento para poupar dinheiro todos os meses. Crie um orçamento detalhado para determinar onde seu dinheiro está sendo gasto e onde você pode reduzir gastos desnecessários.
  3. Abra uma conta de poupança separada: Abra uma conta de poupança separada especificamente para sua reserva de emergência. Mantenha seu dinheiro separado de suas contas de verificação e outras contas para não misturar seu dinheiro de emergência com seu dinheiro do dia a dia.
  4. Automatize suas economias: Configure transferências automáticas para sua conta de poupança de emergência a partir de sua conta corrente ou outras fontes de renda. Desta forma, você estará economizando dinheiro automaticamente sem precisar pensar nisso.
  5. Adicione dinheiro à sua reserva de emergência: Quando receber dinheiro extra, como bônus ou um reembolso de impostos, adicione esses fundos à sua reserva de emergência.
  6. Não toque em sua reserva de emergência: Sua reserva de emergência deve ser usada apenas em caso de emergência. Não a toque para outras despesas, a menos que seja absolutamente necessário.

Criar uma reserva de emergência pode levar tempo e esforço, mas é um passo importante para alcançar a segurança financeira. Comece economizando um pouco a cada mês e trabalhe para construir sua reserva de emergência ao longo do tempo.

Viva a experiência de ser um nômade digital

Agora que você decidiu que realmente quer ser um nômade digital. Está disposto a desapegar de um certo conforto de ter um lar fixo,  preparou suas finanças, conversou com a família e clientes, definiu qual vai ser sua forma de hospedagem quando estiver na estrada, pois a acomodação é um negócio que faz muita diferença na sua qualidade de vida. Não vale a pena ficar sofrendo longe de casa, o objetivo deve ser aproveitar a viagem.

A partir de agora, você passa a gerenciar seu tempo, suas finanças e  produtividade . Não existe uma mágica em ser nômade digital,  a mágica é trabalho e não podemos fugir disso.

lembre-se de que você não vai viver todos os dias como se estivesse de férias. Quando a gente transforma a vida em uma viagem, é preciso estabelecer prioridades, responsabilidades e uma rotina mínima para que as coisas funcionem.

Por hoje é só! O artigo foi útil para você? Compartilhe com seus amigos.

Se você tem vontade de viver essa experiência, selecionamos 10 ideias de trabalho para quem quer ser um nômade digital.

Confira também um artigo que falamos tudo sobre os nômades digitais:

O artigo foi útil para você? Compartilhe com seus amigos.

Um abraço, meus chegados a gente te espera no próximo artigo!

Escrito por
Movimento nômades digitais
Faça um comentário

1 Comentário

Rapha e Ray

Rapha e Ray, do projeto Movimento nômades digitais, um casal apaixonado pela praia, que juntou a enorme vontade de viajar com a necessidade de continuar administrando sua empresa em movimento. Somos uma dupla de criativos da cidade de Goiânia, e fazemos das diferentes cidades, nosso local de trabalho.

Movimento Nômades Digitais

Tudo sobre os nômades digitais.